De Anónimo a 16 de Julho de 2007 às 00:10
O Jorge parece que nunca esteve apaixonado. Se fossemos capazes de decidir sobre tudo não valeria a pena viver.
De Jorge a 16 de Julho de 2007 às 00:27
Claro que já estive apaixonado e já fiz coisas aparentemente estranhas. E acho isso muito saudável. Algo que não acho em nenhuma das situações que descrevi. Na situação A, temos o caso típico da acomodação; as coisas não funcionam, em vez de se procurar as razões que possam ajudar a melhorar a situação, progride-se irresponsavelmente para um passo mais avançado da relação na esperança que surja a cura milagrosa. Na situação B, voltamos a estar perante outra "cura milagrosa"; algo está errado mas vão casar para esconder o que está errado (até há outra pessoa envolvida). Na situação C, uma das pessoas trata de forma incorrecta outra com frequência mas a pessoa maltratada decide passar para a fase de negação uns dias depois. Aos meus olhos isto não é estar apaixonado, é a aplicação daquele ditado "o pior cego é aquele que não quer ver"
De Jorge a 16 de Julho de 2007 às 00:28
Acrescento: Não somos capazes de controlar tudo o que nos acontece, mas somos capazes de tomar decisões e de assumir a responsabilidade sobre a nossa vida.
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.