Segunda-feira, 24 de Março de 2008

E uma chapada nas fuças?

Correu as televisões: "Dá-me o telemóvel já!".

Uma aluna guincha para a professora lhe devolver o telemóvel, enquanto um palhaço de um colega filma a situação com o seu telemóvel(e assim garante material para o presente artigo).

Vejam:



Quando vi o vídeo pensei em algo extremamente parecido com o título deste post (a que escrevi aqui ouvi no Minho, onde estou a descansar). Depois ponderei na quantidade de pessoa neste país a quem lhes faz falta essa mesma receita (de todas as esferas sociais e de todas idades).

Num dos telejornais apareceu uma psicóloga com muita "psicochacha" sobre a postura da professora e mais uns quantos lugares comuns. Em nenhuma análise do vídeo ouvi alguém sugerir tal coisa como "uma chapada nas fuças", porque não há ninguém com coragem para o fazer numa televisão ou num jornal (pessoalmente acredito que muitas pessoas pensaram nisso ao ver aquelas imagens).

Não me parece que a violência seja uma solução, mas acredito que tenham faltado regras essenciais para aquela jovem ter um comportamento dito normal. E faltou-lhe, sem dúvidas, algumas palmadas em pequena (ou um equivalente para mostrar que há consequências de se ter um comportamento incorrecto).

Umas simples palmadas nas alturas certas podem evitar uma série de comportamentos inadequados no futuro. O pior é que hoje em dia fica tão feio dizer isso na praça pública que se diz tudo o resto (mesmo que seja parvo).

Claro que há quem ache isto incorrecto, mas nós também fazemos coisas destas com adultos. Se alguém não cumprir a lei há consequências, certo? Esta aprendizagem social começa desde pequenos. Se em crianças não se aprende a cumprir regras, parece-me que mais tarde vai ser complicado.

Porque é que qualquer jovem tem direito a ser um livre arruaceiro e encher os outros com a sua parvoíce sem qualquer chamada de atenção? Acham que perante um comportamento daqueles vale a pena ter uma conversa? Venham lá com a "psicochacha" que quiserem, comportamentos não se alteram com palavras bonitas.

Já gora, mudemos de assunto, porque raios é que têm telemóveis nas salas de aulas? E uma coisa, porque é que qualquer puto tem de  ter telemóvel? O que é que andam a fazer os pais e encarregados de educação deste país?


Uma coisa é certa, se esta jovem fosse minha filha eu dava-lhe uma chapada na cara. E, meus caros, se gostarem ou não, acreditem que também é um parecer técnico.
Categorias:
Uma criação de Jorge às 11:00
Link do Post | Comentar |
8 comentários:
De Raquel a 24 de Março de 2008 às 11:41
Quando vi o video na TV pensei precisamente o mesmo que tu.

Esta abordagem de educação (quer nas escolas quer em casa) de se andar com paninhos quentes em relação às criancinhas, sem se poder levantar um dedo que seja é absurda. Umas palmadas no rabo ou umas reguadas na mão nunca fizeram mal a ninguém, muito pelo contrário, é o que falta aos miúdos de hoje.

Depois temos destas coisas que aparecem na TV (e acredito piamente que esta situação nem seja das piores).
De Ritta a 24 de Março de 2008 às 11:43
Eu própria não teria dito melhor! Absolutamente de acordo.
Estamos a trabalhar muito bem para a república das bananas. Não há regras, não há limites, não há valores no sítio certo.
E agrora dou por mim a pensar... ultimamente uso muito a expressão "só à chapada"... às vezes acho que o digo só a brincar...se calhar não!
De Phil a 24 de Março de 2008 às 11:58
O que me preocupa é que a postura é exactamente a mesma em relação às autoridades...se há uma intervenção por parte da polícia que envolva a utilização efectiva de armas, há logo a constituição de um inquérito...

A postura é semelhante ao tratamento que é dado às "criançinhas"...qualquer atitude de "força" é críticada...

Obviamente, mais tarde, sofremos as consequências dessa passividade, que começa logo em casa...o menino quer uma PlayStation 3...e por muito que isso vá pesar no orçamento, o menino tem mesmo a PS3...naturalmente, perante situações semelhantes, a "criançinha" já saberá dar a volta aos paizinhos e o monstro está criado e já será tarde demais para corrigir a situação...

Isto tudo para dizer que uma chapada não chegava...uma carga de porrada à antiga, é que é era...
De Phil a 24 de Março de 2008 às 12:12
E é hoje notícia que polícias reformados estão a ser contratados como auxiliares educativos (ou como raio se chamam), para poderem registar todas as ocorrências que possam "afectar" o normal funcionamento das escolas...ou seja, imaginem uns PIDE's a registar as movimentações anti-regime...

O que me deixa preocupado, é que conseguem captar recursos humanos para uma tarefa perfeitamente inútil e para as funções que importam, como garantir de maior qualidade no ensino e maior segurança nas escolas, regra geral, o orçamento nunca chega...

É nestes momentos eu penso na mensagem de um certo V...
De Inês Torres a 24 de Março de 2008 às 12:27
De facto também pensei em algo como "e uma chamada nas fuças" ? ou até mesmo duas. Mas, a verdade, é que os professores têm de se controlar e não proceder à agressão física (embora muitos alunos, como esta peixeira do vídeo, mereçam) pois arriscam-se a ver a sua carreira em risco, o seu carro riscado, tribunais, etc etc.. enfim, uma carga de trabalhos!

A educação começa em casa e, quando esta não actua da forma que se espera, existe o Conselho Executivo que pode suspender, bla bla bla ou, como vai acontecer, transferir o aluno (o que acho mal, visto que não é assim que os problemas se resolvem).

Acho muito mal a professora não ter feito queixa desta enorme falta de respeito. Mas, ao mesmo tempo, podemos entende-la...

...quem é que quer um carro todo riscado ou com pneus furados à saída do emprego?

Relativamente à questão dos telemóveis, por muito que os evitemos, o acesso por parte das faixas etárias mais baixas é facilitado. Pode haver casos onde, de facto, sao despensáveis mas, ha outros, como um que conheço bem de perto, onde ele é imprescindível a uma criança de 11 anos. Pais divorciados que evitam falar um com o outro ou que até manipulam tais chamadas. Cada caso é um caso, nao se pode generalizar.

Mas realmente.. UMA CHAPADA NAQUELA CARA, pelo menos dada por um colega de turma =P Desculpem o testamento mas exalto-me nestas manhas de segunda.

Inês Torres
De MoonLight a 9 de Abril de 2008 às 14:17
Isto foi o princípio de tantas outras coisas que vão acontecer, que já acontecem e que aconteceram, e que vão vir à tona...
Bjs de Luz*
De Grinch a 10 de Abril de 2008 às 10:55
Concordo plenamente com tudo o que já foi dito e "redito" em todo o lado.
Comento apenas a parte de "para que raio é que as crianças precisam de telemóveis?" - O meu Grinchito tem telemóvel desde os 9 anos, fui eu que lho dei, mas também o massacrei com "não é para usar durante as aulas", "quando entras para a sala, tiras o som", "se asneares e a professora to confiscar, entregas-lho e pedes-lho de volta no fim das aulas", "Livra-te de eu sequer desconfiar que há cenas deste género relacionadas contigo".
Até agora não tenho nada do que me queixar.
De Tiago a 24 de Outubro de 2008 às 14:41
eu axo ke a aluna devia ir levar

Comentar post

badge

subscrever feeds

Ideias Recentes

There are four Walt Disne...

...

Hora de Hibernar

Body Balance

Finalmente uma data...

Em Forma...

2 canções de (quase) Amor

Bla Bla Bla... Espera iss...

Simples, não d&aac...

Google Chrome

Categorias

bem-estar(1)

blogue(24)

bushido(43)

caminha(1)

empresa(9)

férias(2)

ficção(10)

filmes(9)

humor(10)

livros(12)

mac(4)

midnight(2)

minho(3)

música(4)

podcast(2)

sapo(2)

séries(4)

vida social(54)

wii(2)

wow(8)

todas as tags

Links

Material Fora de Cena

Julho 2011

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Pesquisar neste Blog

 
blogs SAPO